Equipe

Angélica Menezes

Diretora de Produção e Curadora

Angélica Menezes, brasiliense que cresceu em Porto Velho, é produtora audiovisual, educadora, pesquisadora e curadora. Tem mestrado em Artes da Cena pela Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ (2020), pela mesma instituição se graduou em Comunicação Social – Radialismo (Audiovisual) e também foi bolsista no grupo de Pesquisa e Iniciação em Arte e Cultura – PIBIAC, dando suporte criativo, técnico e logístico nas produções culturais da instituição. Co-fundadora do Beira – Festival de Cinema de Porto Velho, atualmente é diretora de produção e curadora do festival, além de coordenadora do projeto literário “Nina e o mundo encantado do cinema” e também produtora do “LAB Cinema e Audiovisual no Chão da Escola – Pistas metodológicas para educadoras e educadores”, e ainda proponente destes três projetos, os quais foram contemplados na segunda edição dos editais Aldir Blanc – Rondônia. Em 2021 foi professora convidada no curso de Artes Visuais da Universidade Federal de Rondônia – UNIR – onde lecionou a disciplina “Pensar e Experimentar o Cinema”. Anteriormente integrou a equipe de produção da emissora carioca MultiRio, onde colaborou em diversos programas televisivos, na pré-produção, produção e assistência de estúdio (2014 a 2016).

Naara Fontinele

Diretora Artística e Curadora

Naara Fontinele é trabalhadora do cinema e audiovisual, educadora, pesquisadora, ensaísta e curadora. É doutora em Cinema e Audiovisual pela Sorbonne Nouvelle e em Comunicação Social pela UFMG (cotutela), com mestrado em “Pedagogia das imagens” pela Sorbonne Nouvelle (2014) e em “Cinema, História cultural e Antropologia” pela mesma instituição (2012). Atuou como professora substituta de Cinema e Audiovisual na Sorbonne Nouvelle – Paris entre 2017 e 2021, e foi professora convidada do curso de Artes Visuais da UNIR em 2021. Realizou diversas iniciativas de programação de filmes na França e no Brasil, entre elas a curadoria da Mostra “Documentário: invenção de formas-pensamento crítico (1964-1983)” no 19o FestCurtasBH. Autora da tese “Quando ‘o cinema se oculta e se expande no coração da desordem’ – as potências críticas do documentário brasileiro”, em tratamento para publicação. Ministra cursos e oficinas sobre pedagogia das imagens, cinema brasileiro, cinema e imagens de arquivo, formas documentárias e experimentais. Seus novos projetos se aproximam de Rondônia, investigando impactos do colonialismo e da ruína ecológica. É co-fundadora do “BEIRA – Festival de cinema de Porto Velho”. Vive e trabalha entre São Francisco, Porto Velho e Paris.

Thais Duarte

Assistente de Produção

Possui graduação em Comunicação Social – Radialismo (ECO – UFRJ). Atualmente cursando especialização em Direitos Humanos (PUCRS). Foi assistente de produção de projetos de arte e educação  em museus no RJ, incluindo o projeto Estação Educativa (2014), nas atividades educativas da Semana do Clima, WWF Brasil (2015) e no Museu do Índio (2015). Foi assistente de conteúdo na área de Aquisições e Licenciamento do Canal Futura, onde também auxiliou a produção dos programas O Poder do Esporte (2016) e TED: Compartilhando Ideias (2017). Foi assistente de set do reality show The Circle Brasil, produzido pela Studio Lambert para a Netflix (Manchester, 2019) e trabalhou na produção dos festivais Open City Documentary Festival (Londres , 2019), BFI London Film Festival (Londres , 2019) e como assistente de coordenação do Cinerama durante o International Film Festival Rotterdam (Rotterdam, 2020). Também atuou como produtora executiva do projeto Coisas que Perdemos no Fogo (2021), selecionado no Edital Retomada Cultural RJ e produzido com o apoio da Cinemateca do MAM (Visual novel selecionada para o Festival Ecrã 2021). Atualmente é  assistente de produção do festival Beira – Festival de Cinema de Porto Velho, contemplado pela  2ª edição do prêmio Pacaás Novos, produtora executiva do projeto Nina e o Mundo Encantado do Cinema – contemplado pela 2ª edição do prêmio Marechal Rondon e secretária de produção do longa-metragem Ecoloucos – Uma Comédia Insustentável (34 filmes).

André Novais

Curador

Nascido em Belo Horizonte. Formado em História pela PUC-Minas e em Cinema pela Escola Livre de Cinema/BH. É diretor e roteirista. Temporada, último longa-metragem que dirigiu, teve estreia na mostra Cineastas do Presente do 71º Festival de Locarno e ganhou o prêmio de Melhor Filme no 51º Festival de Cinema de Brasília. Dirigiu também o longa Ela volta na quinta e os curtas Fantasmas, Domingo, Rua Ataléia, Pouco mais de um mês e Quintal (os dois últimos selecionados para Quinzena dos Realizadores em Cannes), além do episódio “Mais esperto que o rei” da segunda temporada da série Pico da Neblina, da HBO. Como roteirista, atualmente trabalha como profissional contratado em projetos de longa-metragem e realiza consultorias de roteiros. Como curador já participou do comitê de seleção de festivais como FórumDoc (Belo Horizonte), Curta Brasília, Semana dos Realizadores(Rio de Janeiro) e FRAPA(Porto Alegre. Junto com Gabriel Martins, Maurílio Martins e Thiago Macêdo Correia, é sócio da produtora mineira Filmes de Plástico, desde 2009. Em 2021 lançou o livro “Roteiro e diário de produção de um filme chamado Temporada”, onde relata todo o processo de feitura do último longa. Temporada está disponível na NETFLIX Brasil.

Kênia Freitas

Curadora

Professora, crítica e curadora de cinema, com pesquisa sobre Afrofuturismo e o Cinema Negro. Doutora em Comunicação e Cultura pela UFRJ. Fez estágios de pós-doutorado (CAPES/PNPD) no programa de pós-graduação em Comunicação na UCB (2015-2018) e no programa de pós-graduação em Comunicação da Unesp (2018-2020). Desde 2015, realizou a curadoria de diversas mostras e festivais de cinema. Faz palestras, ministra oficinas e minicursos sobre Cinema Negro Especulativo e Crítica de cinema. Escreve críticas para o site Multiplot! desde 2012. Integra o FICINE – Forúm Itinerante de Cinema Negro.

Érico Araújo

Curador

Érico Oliveira trabalha com Cinema e Audiovisual, em diálogo com outras artes e com a educação. Realizou Doutorado em Comunicação pela Universidade Federal Fluminense (PPGCOM – Linha de Estudos do Cinema e do Audiovisual), em regime de cotutela com a Université Sorbonne Nouvelle – Paris 3 (Études cinématographiques et audiovisuelles). Foi professor substituto (2019-2021) no Instituto de Cultura e Arte da Universidade Federal do Ceará (UFC), com cursos ministrados no setor de escrita. É membro da equipe de pesquisa do LEEA-UFC (Laboratório de Estudos e Experimentações em Artes e Audiovisual), ministra cursos livres de artes e audiovisual, atua também em programação de mostras e curadorias de exposições. Em 2021, integrou a Comissão de Seleção Nacional do Festival Internacional de Curtas de Belo Horizonte (FestCurtasBH). Organizou em 2017 o Curso “O cinema e a experiência de vizinhança”, que ocorreu no Centro Cultural Bom Jardim, com financiamento da SECULT-CE. Fez parte da Coordenação Pedagógica do Curso de Graduação Plena em Comunicação Social para Assentadas e Assentados da Reforma Agrária – Jornalismo da Terra (UFC/Pronera).

Simone Norberto

Curadora

Mestre em Letras pela Universidade Federal de Rondônia- Unir. Possui graduação em Letras pela Universidade de São Paulo (1994) e graduação em jornalismo pela Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero (1993). Especializou-se em jornalismo e mídia pela Faculdade Interamericana de Porto Velho (2004), onde foi docente. Também lecionou no curso de comunicação da Faculdade de Ciências Humanas, Exatas e Letras de Rondônia. Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em televisão e na área de arte, sendo especializada neste tipo de coberturas jornalísticas. Trabalhou durante 14 anos na Rede Amazônica de Televisão, nas funções de repórter, editora e apresentadora de telejornais. Produziu vídeos experimentais e vários documentários históricos, multiculturais e turísticos de aventura, alguns premiados em festivais. Dirige uma instituição, o CineOca, que se dedica a difusão e produção de audiovisuais. Atualmente é jornalista concursada do Tribunal de Justiça de Rondônia. Obras audiovisuais de destaque em curta-metragem: Repositório, Curso, Malmequer. Em média-metragem: Forte Príncipe da Beira, Missão Rondon, Expedição Trans-Jeri, Bizarrus. Longa-metragem: Nazaré Encantada.

Júnia Torres

Curadora (Fórumdoc.bh)

Documentarista e antropóloga. Compõem a equipe de idealização e organização do forumdoc.bh – Festival do Filme Documentário e Etnográfico de Belo Horizonte, em suas 25 edições anuais. Programadora e curadora de  mostras de cinema com foco no documentário. Co-curadora, junto a Daniel Munduruku das seis edições anuais do Mekukradjá: Círculo de Saberes indígenas (Itaú Cultural, SP). Organizou pelo Cine Sesc SP em 2020 e 2021, a mostra de filmes “Cinemas de Autoria Indígena”. Integrou o júri dos festivais: CachoeiraDoc (2014); FestCurtas, (2019); Mostra Ecofalante (2021). Como realizadora, dirigiu os longas: “O Jucá da Volta” (co-direção Antônio Bispo dos Santos, Nêgo Bispo); “Nos olhos de Mariquinha” (co-direção: Cláudia Mesquita), “Um Olhar sobre os quilombos no Brasil” (co-direção Cida Reis); “Aqui favela, o rap representa” (co-direção Rodrigo Siqueira), “A Rainha Nzinga Chegou” (co-direção Isabel Casimira).

Cláudia Mesquita

Curadora

Claudia Mesquita é professora do curso de graduação e do programa de pós-graduação em Comunicação Social da UFMG, onde integra os grupos de pesquisa Poéticas da Experiência e Poéticas Femininas, Políticas Feministas. Pesquisadora do cinema brasileiro, com mestrado e doutorado na ECA-USP, e pós-doutorado na UFC. Em seus artigos recentes, tem trabalhado articulações entre elaborações fílmicas e históricas. Publicou, com Consuelo Lins, o livro “Filmar o real – sobre o documentário brasileiro contemporâneo” (Editora Jorge Zahar, 2008), e organizou, com Maria Campaña Ramia, “El otro cine de Eduardo Coutinho” (Cinememoria e Edoc, 2012), publicado no Equador. 

Juliano Araújo

Curador e Conferencista

Juliano José de Araújo é doutor em Multimeios pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) com estágio de doutorado na Universidade de Paris-10. É mestre em Comunicação pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) e graduado em Comunicação Social/Jornalismo também pela Unesp. É professor do Departamento de Comunicação da Universidade Federal de Rondônia (Unir), onde lidera o Grupo de Pesquisa e Extensão em Audiovisual. É autor de “Cineastas indígenas, documentário e autoetnografia: um estudo do projeto Vídeo nas Aldeias” (Editora Urutau/Margem da Palavra, 2019). Tem experiência na área de Comunicação, interessando-se pelos seguintes temas: cinema documentário; comunicação comunitária; história, teoria e crítica do audiovisual; mídia e meio ambiente; e produção audiovisual indígena.

Lúcia Monteiro

Curadora

Lúcia Monteiro é professora-adjunta no Departamento de Cinema e Vídeo da Universidade Federal Fluminense e integra o Programa de Pós-Graduação em Cinema e Vídeo da mesma instituição. Doutora pela Sorbonne Nouvelle Paris 3 e pela Universidade de São Paulo, atua também como crítica, curadora e tradutora. Suas pesquisas mais recentes abordam os Cinemas Amazônicos e questões como escrita audiovisual, lentidão, longa duração, memória e meio ambiente. Idealizou as mostras “África(s). Cinema e revolução”, “África(s). Cinema e memória em construção” e “A Caliwood de Luis Ospina”, entre outras. Dentre as publicações coletivas que co-editou e/ou colaborou estão os livros “Fordlândia. Suspended Spaces # 5” (Les Presses du Réel, 2020), “Cinema: estética, política e as dimensões da memória” (Sulina, 2019) e “Palmanova. Victor Burgin” (Form[e]s, 2016).

Wandes Leão

Apresentador

Wandes Leão é professor, arte-educador e artista visual. Graduado em Artes Visuais pela Universidade Federal de Rondônia (Unir), foi o primeiro egresso do curso a expor na Galeria de Arte Unir (GAU) em Porto Velho.

Davi Palmeira

Designer Gráfico

Davi Palmeira é ator, diretor e designer gráfico. Com mais de dez anos de atuação como designer assinou dezenas de projetos gráficos de produtos artísticos, entre eles: “O Som e a Fúria” da Definitiva Cia de Teatro (2020); “Um Zoom em Clarice”, com direção de Isabel Penoni (2021); “Rose”, com direção de Vinicius Arneiro (2017); “Deus e o Diabo na terra do Sol”, da Definitiva Cia de teatro (2015); “Três por quatro”, do Grupo Barka (2015); “A Hora da Estrela” da Definitiva Cia de teatro (2017). Em parceria com Eleonora Fabião e Adriana Schneider, criou a identidade visual do Núcleo Experimental de Performance, do projeto “Janelas Abertas” e do simpósio internacional “Tempos das Mãos…”. Além disso, desenvolveu trabalhos em parceria com a Orquestra Sinfônica Brasileira, GloboNews e UFRJ, onde foi responsável pela identidade visual das Mostras de Teatro do Curso de Direção Teatral entre os anos de 2013 e 2017.

Maitê Paier

Webdesigner

Designer gráfica e web, formada em design gráfico pela UDESC (Universidade do Estado de Santa Catarina) e com pós graduação em publicações digitais pela universidade BAU de Barcelona, se dedica a mais de 10 anos ao design gráfico e web, trabalhando em diferentes agencias de design e publicidade no âmbito nacional como também internacional. Nos últimos anos tem se dedicado de forma freelancer a ajudar pequenas e medias empresas a lançarem-se ao mercado, com clientes no Brasil, Espanha, Portugal, Estados Unidos e Chile. 

Malu Calixto

Assessora De Imprensa

Formada pela Universidade do Oeste Paulista – UNOESTE (2000) em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo, Malu Calixto possui experiência profissional em comunicação institucional, endomarketing, organização de eventos e assessoria de imprensa em empresas privadas, órgãos governamentais e no Terceiro Setor. Exclusivamente como assessora de imprensa, atuou no Governo do Estado de Rondônia (2008 a 2010), na Prefeitura de Porto Velho (2013 a 2015) e na organização ambiental Centro de Estudos Rioterra (2013 a 2016), instituição para a qual presta serviços em assessoria de Comunicação atualmente. No setor Cultural, Malu atuou em ações para Difusão Audiovisual. É sócia-fundadora do Cineclube CineOca, através do qual realizou Mostras de Cinema em parceria com organizações culturais, como o Sesc/RO (2005 a 2015), e foi facilitadora de oficinas de formação cineclubista em projetos do Conselho Nacional de Cineclubes (2008 a 2010).

Victor Kopashi

Intérprete de Libras

Professor, tradutor e intérprete de Libras. Com atuação na Universidade Federal de Rondônia – UNIR e na mediação tecnológica da  Secretaria de Estado da Educação – SEDUC – RO.

Cléfer Fernanda

Intérprete de Libras

Intérprete de Libras, professora de Libras e História. Atua na Gerência de Formação da Secretaria de Educação como Professora Formadora na área da Educação Especial e Intérprete de Libras.